http://img233.imageshack.us/img233/4972/novadireita15tl.jpg

terça-feira, junho 27, 2006

Líder da extrema-direita francesa diz que há muitos negros na seleção


O líder da extrema-direita francesa, Jean-Marie Le Pen, disse que a população da França não se identifica totalmente com a seleção do país porque há muitos "jogadores de cor".

"Sentimos que a França não se reconhece totalmente nesta equipe", disse ele, que disputou o segundo turno das eleições para presidente em 2002 contra o atual ocupante do cargo, Jacques Chirac.

"Talvez, o técnico tenha exagerado na proporção de jogadores de cor. Talvez nessa área, ele devia ter sido mais cuidadoso. Talvez, tenha se influenciado por sua ideologia", avaliou.

A fórmula de miscigenação na seleção francesa se consagrou com o primeiro título mundial em 1998. Antes da conquista, Le Pen havia dito que a equipe era "artificial". Para a Copa da Alemanha, disse esperar que a França volte a ser campeã.

O político declarou ainda que o goleiro Barthez deveria ser expulso da seleção se continuar a não cantar o hino nacional.

"Hoje, há apenas um que não canta, que é o senhor Barthez. É um francês, mas não canta. Estou totalmente chocado com isso", afirmou.

Retirado do Folha Online

3 Comments:

At 5:01 da tarde, Blogger F. Santos said...

Poderíamos estar aqui horas a discutir se o facto de se não cantar aquele hino jacobino é ou não um acto patriótico...

 
At 5:02 da tarde, Blogger F. Santos said...

Já agora, sugiro ao Jorge que mude a hora do blogue para a hora nacional. E votos de bom trabalho. Juntos não somos de mais para continuar Portugal!

 
At 4:07 da tarde, Blogger Ferreira Martins, Conde de Piornos said...

Poderíamos estar aqui horas a discutir se alguém pode ser simultaneamente português, nacionalista e racista...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home